Após fuga dos médicos cubanos, setores da Saúde buscam suprir com contratações emergenciais em Fartura e Taguaí
28/11/2016 - 05:29
 
Com a descoberta nesta semana dos três médicos cubanos do programa federal “Mais Médicos” que abandonaram seus postos de trabalho nas cidades de Fartura e Taguaí, os setores dos dois municípios estão em contato com profissionais da área para suprir os atendimentos nas unidades de saúde.
Em Fartura, os médicos cubanos Reynerio Velasques Rodrigues (Dr. Rey) e Suneidy Aguila Fuentes (Dra. Suny) atendiam nas unidades básicas de saúde (UBS’s) São Caetano e Bela Vista, respectivamente. Na cidade de Taguaí a Dra. Lidelia Hernandes Suri prestava atendimento na UBS Jardim Primavera.
Nas unidades de Fartura os pacientes estão sendo direcionados para o Centro de Saúde ou para o Pronto Socorro. A coordenadora municipal, Regiane Medeiros, está empenhada em contratar profissionais em caráter de urgência e já tem conversas adiantadas com uma médica. 
Em Taguaí, a responsável pelo Setor da saúde, Anelisa Soares de Almeida Cardoso, conseguiu remanejar um profissional e houve atendimento na UBS Jardim Primavera nesta semana. Anelisa pretende suprir novamente o atendimento médico na unidade nos próximos dias. Ela não descarta contratações emergenciais.
Após os setores de Saúde de Fartura e Taguaí entrarem em contado com a coordenação nacional do Programa Mais Médicos relatando os fatos ocorridos, o Ministério da saúde analisa o caso e já respondeu que enviará substitutos, porém não há data para o procedimento. 
ENTENDA O CASO – Desde o início do ano está ocorrendo uma debandada de médicos cubanos que participam do Programa Mais Médicos. Eles abandonam os postos de trabalho que foram designados e desaparecem. Há casos semelhantes no Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Alagoas e em diversas cidades do estado de São Paulo.
Em Pongaí, o médico cubano deixou uma carta dizendo que não queria voltar para Cuba após o término do contrato em março do próximo ano, por isso fugiu. Seu destino foi a América do Norte (Estados Unidos). No caso dos profissionais de Fartura e Taguaí, o destino pode ter sido o mesmo.  
Segundo informações, Dr. Rey e a Dra. Suny, que eram muitos queridos pelos pacientes, pediram folga após o feriado do dia 15 de novembro e desde o final de semana anterior eles não foram mais vistos na cidade. A coordenadora da Saúde, Regiane Medeiros, após receber a informação que os médicos não se encontravam no município entrou em contato com a Dra. Suny via whatsapp e ela relatou que o casal não atenderia mais em Fartura e os dois já estariam fora do País. Regiane foi verificar a casa alugada pelos cubanos e encontrou o local vazio sem móveis. 
“No mês de junho ou julho deste ano nós ficamos sabendo que eles (casal de médicos cubanos) estavam vendendo os móveis da casa e chamamos os dois na coordenadoria para pedir explicações se tinham a intenção de abandonar o Programa Mais Médicos, eles falaram que não tinham a intenção de ir embora antes do final do contrato”, disse Regiane. 
Segundo a coordenadora, o contrato terminaria em fevereiro ou março de 2017 e os salários de ambos estavam sendo pagos corretamente, pois é um repasse oriundo do governo.
A médica de Taguaí, Dra. Lidelia é amiga da Dra. Suny e existe grande possibilidade de estarem juntas após o sumiço, pois Lidelia havia avisado que viajaria com o casal de médicos que atuavam em Fartura para o Rio de Janeiro no feriado do dia 15 de novembro. Cubanos que trabalhavam em Manduri e na região de Bauru, Lins e Jaú desapareceram também na mesma semana. 
 
Visitas: 81
 
Atendimento de Segunda a Sexta das 8:00 às 11:00 e das 13:00 as 17:00.
Prefeitura Municipal de Fartura
Praça Deocleciano Ribeiro, 444 - Centro - CEP: 18.870-000